Menu fechado

Desligue. Fique offline.

As redes sociais são tóxicas. Afirmo e reafirmo isso sem medo de errar ou de estar sendo exagerada. Há muito que posso usar para exemplificar essa sentença e é justamente isso que quero fazer por aqui hoje. Além disso, vou mostrar como é bom desconectar eventualmente. 

Mais um dia normal. Você acorda, se espreguiça – quando não está atrasada – desliga o alarme e já que está com o celular em mãos, não resiste e abre o aplicativo preferido. Arrisco dizer que deve ser o Instagram, Twitter ou Facebook, nesta ordem. Não mais que dois minutos depois você já viu alguma notícia trágica – se mora no Brasil então, isso é certo – mais uma rolagem no feed e lá vem aquela postagem sensacional de uma conhecida viajando. Próxima foto é daquela atriz com o corpo maravilhoso que você segue porque todo mundo segue. 

Talvez não seja exatamente estes casos que descrevi. Talvez você tenha visto um retweet que caiu na sua timeline sobre algum comentário extremamente homofóbico, racista ou preconceituoso. Talvez seja um link sobre cachorros abandonados ou pessoas que morreram nas últimas tempestades que seu estado teve. O que quero dizer é que em poucos minutos você foi bombardeada por mensagens negativas e depreciativas. 

Eu sempre soube disso e sempre atestei essa teoria na minha própria pele. Tem dias que fica difícil sair da cama ao ver que tanta gente odeia você, mesmo sem te conhecer, porque você é gay, é difícil ver que o presidente do nosso país está acabando com o meio ambiente e com as terras indígenas e promete fazer mais merda ainda. Tem dias que dá vontade de desistir de tudo, parece que nada mais faz sentido. 

Você vê seus amigos da época de escola conquistando tudo que você não tem. As pessoas são bem sucedidas e fazem viagens sensacionais. Elas tem empregos dos sonhos e tiram fotos gargalhando em algum lugar maravilhosos. Tem momentos que parece que você foi a única que escolheu tudo errado na vida e não conseguiu evoluir. Parece que você não tem valor, não é? Como eu disse, as redes sociais podem ser tóxicas. 

Ok, então eu preciso me tornar alienada e ignorar tudo que acontece para ser uma pessoa mais tranquila? Não. Talvez sim. Mas não. O que você precisa, primeiro de tudo, é não dar tanto valor à rede social. Vou listar aqui algumas coisas que eu passei a fazer e que podem ajudar.

 

  • Procure por aplicativos de meditação. Ao acordar, abra um deles e passe cinco minutos inspirando, expirando e se preparando para o dia que vem a seguir.
  • Antes de abrir qualquer rede social, levante, lave o rosto, pegue um café, um pão ou uma fruta e dê uma olhada rápida pela janela. Veja o mundo real antes de entrar no digital
  • Mande mensagem de bom dia para quem você ama. Não precisa falar mais nada, apenas um “espero que você tenha um ótimo dia”
  • Procure rever os perfis que você segue. Para notícias, entre em sites especializados e procure saber o que acontece no mundo, por mais triste que possa ser, é importante estar ligado.
  • Não ignore a sensação ruim. Entenda que é automático da sua mente a comparação com aquilo que você acha que os outros são/tem. Ao invés de ignorar isso e deixar que te consuma, lembre que as redes sociais são o espelho positivo. Ninguém posta “os dias de luta”, apenas “os dias de glória” 

Por último, não tenha medo de desligar. A sua saúde mental é mais importante do que qualquer outra coisa, pois é ela que vai ditar a saúde física. Você precisa estar bem consigo mesma para conseguir realizar tudo que sua vida exige. Então, quando sentir que está ficando difícil passar por um dia inteiro sem se deprimir com tudo que vê na tela do celular, apenas o desligue. Pode ser por algumas horas, por uma noite ou um dia apenas, mas não deixe de ficar offline. 

Ponha uma música na caixa de som, pegue um livro que goste para ler, saia para andar na praia ou para tomar um café na rua enquanto vê as pessoas caminhando. Olhe o céu, conte estrelas, escreva algo bobo, desenhe ou aprenda a costurar. Valorize o offline, ele é mais necessário do que parece.

Comente! ;)

× Dúvidas? É só chamar!
%d blogueiros gostam disto: